Questões sobre imóveis, despejo ou desocupação

Depois de ter arrematado um imóvel em um leilão é hora de enfrentar um processo de desocupação do imóvel ou despejo do morador. Não é raro encontrar um ex-mutuário ainda morando no imóvel mesmo depois de ocorrido o leilão. Procure por imoveis goiania para maiores informações.

É sempre melhor tentar resolver a situação de forma amigável e com diálogo, mas se isso não for possível, é hora de recorrer à justiça e promover uma ação de despejo do morador por meio de uma ação de imissão de posse com antecipação de tutela.

Quando uma pessoa arremata um imóvel em leilões, o arrematante receberá um título de aquisição ou carta de arrematação com a qual obterá a certidão do cartório de registro de imóveis, mas sua posse ainda é indireta. Com o pedido de antecipação de posse, o arrematante terá a imissão de posse que determinará que o ex-mutuário desocupe o imóvel, objeto da disputa, que é o despejo.

Se o diálogo for o bastante para convencer o morador a desocupar o imóvel, muita dor de cabeça poderá ser evitada.

Caso o morador exija algum dinheiro para desocupar o imóvel ainda pode ser uma boa saída, já que você economizará dinheiro se não optar por recorrer à justiça. Mas lembre-se de entregar o dinheiro no dia da mudança, quando ele realmente estiver com tudo arrumado para se mudar.

Rodovias federais com os pedágios mais caros do país

Segundo dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), 12.000 quilômetros das rodovias federais são administradas por concessionárias. O Programa Brasileiro de Concessão de Rodovias teve início na década de 90 devido à falta de recursos do governo federal para recuperação e manutenção da malha rodoviária nacional.

As imobiliárias brasileiras resolveram listar as rodovias federais que possuem os pedágios mais caros do país. O valor corresponde apenas aos trechos de ida, não levando em consideração o valor da volta que é sempre o mesmo.

As rodovias de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, foram consideradas as mais caras. Em seguida vêm as rodovias do Rio Grande do sul, Paraná, Bahia e Minas Gerais.

Quem deseja fazer uma viagem de carro de São Paulo ao Rio de Janeiro, por exemplo, irá desembolsar R$42,90 de pedágio, somente de ida. Saiba onde achar imobiliaria presidente prudente.

As tarifas médias por trecho de 100 km de rodovias é de R$12,93 (RJ), R$12,76 (SP), R$12,44 (ES), R$9,93 (RS), R$8,68 (PR), R$7,24 (BA), R$6,46 (MG).

Com relação à qualidade das rodovias o estudo apontou que 33% das rodovias públicas são apontadas como boas, enquanto que as rodovias privadas ficam com 86% de aprovação.